Dia dos namorados pode aquecer a economia

Dados da pesquisa Boa Vista indicam que consumidor deve gastar em média R$ 292 por presente

588

O romance do Dia dos Namorados deve ser benéfico para os comerciantes este ano. Segundo pesquisa da Boa Vista, do SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), os consumidores devem gastar em média R$ 292 em presentes para os companheiros – um aumento de 5% em relação a 2018. Além disso, a pesquisa revela que o número de presenteados também deve crescer, segundo relatório, 69% dos entrevistados pretendem dar presente ao parceiro – no ano passado, a estimativa era de 67%. Entre eles, 42% esperam gastar mais agora do que na compra do presente de 2018.

Produtos

As roupas estão no topo da lista de presentes, com 30% das intenções de compras, seguidas por jantar romântico, show e cinema (19%); perfumaria (13%), joia ou relógio (10%); celulares e smartphones (9%); informática (8%), viagem romântica (7%); flores (2%) e chocolate (2%).

Casais

O Google também fez uma pesquisa de mercado em relação ao Dia dos Namorados. O resultado revelou uma diferença de comportamento entre os casais brasileiros, principalmente em relação ao consumo entre os casados e os namorados. A pesquisa contou com 400 participantes e revelou que 52% – entre casados e namorados – pretendem presentear os companheiros na data. Quando são analisados somente os casados, o número é de 49% e sobe para 57% no caso dos namorados.

Segundo Stephanie Costa, líder de insights para o varejo do Google Brasil, o objetivo do estudo é “entender a janela do consumidor para o dia dos namorados”, trazendo dados relevantes para o varejo brasileiro. Para ela, é importante que o comerciante se prepare para o Dia dos Namorados – sexta data comemorativa mais importante do calendário varejista brasileiro.

São Paulo

A Associação Comercial de São Paulo estima uma alta entre 2% e 3% nas vendas de produtos para a data. “Com o baixo crescimento da economia brasileira, a perspectiva é de um aumento moderado das vendas”, explica Marcel Solimeo, economista da associação. Ele ressalta que o Dia dos Namorados tem como característica presentes de uso pessoal, de menor valor. Itens como bijuterias, chocolates e flores devem permanecer em alta.

Fontes: G1, Correio Braziliense e Boa Vista SCPC

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.